área exclusiva para clientes

E-books

Política e engajamento

Reflexões acerca da religiosidade em Barravento de Glauber Rocha
Por
Hélton Santos Gomes
Editora
Edições Verona
Formatos
Onde encontrar
Sinopse

A presente obra realiza uma abordagem crítica acerca do filme Barravento, 1962, de Glauber Rocha, enfocando a questão religiosa do mesmo, mas sem perder de vista as questões políticas que o envolve.

No que diz respeito à narrativa fílmica o autor busca refletir sobre como o fenômeno religioso interfere na política e no engajamento dos cidadãos em relação a determinadas causas. Ao percorrer este caminho analítico, o autor realiza reflexões sobre o contexto baiano da época, dando foco às questões que dizem respeito ao processo de modernização da Bahia dentro de um contexto nacional. Além disso, é realizado também um estudo sobre o cineasta Glauber Rocha, visando compreender suas motivações e influências.

Que mundo Barravento retrata nas telas? Quais relações estão presentes neste mundo? Qual a perspectiva religiosa que o filme traz? A religião impede as pessoas de fazerem a sua própria história? Qual proposta de mudança do status quo o filme traz? Partindo da premissa do filme de que “a religião é o ópio do povo”, o autor envereda por discussões complexas, já que o filme pode ser interpretado tanto pelo viés religioso quanto pelo viés marxista. Assim sendo, o autor recorre ao marxismo, à teologia da libertação, ao Candomblé e outros assuntos, com o intuito de dar conta da complexidade das discussões que a obra aborda.