área exclusiva para clientes

E-books

A criação do Sistema único de Saúde

A criação do sistema único de saúde (SUS)

O engendramento de uma policy network pelo movimento sanitário
Por
Sylvio Augusto de Mattos Cruz
Editora
Gramma
Formatos
Onde encontrar
Sinopse

 A obra analisa o papel desempenhado pelo Movimento Sanitário no processo de abertura de uma janela de oportunidade que resultou na instituição do Sistema Único de Saúde (SUS). Por meio de práticas discursivas em torno da questão sanitária, o Movimento Sanitário conseguiu desnaturalizar o então discurso hegemônico na saúde e ressignificar para outros atores a necessidade de democratizar o acesso à saúde como uma das condições basilares para o alcance da cidadania. A atuação dialógica estabelecida pelos atores sanitaristas, além de modificar a ordem discursiva então prevalente, também conseguiu inculcar um sistema de crenças e valores sobre a indissociabilidade entre a saúde e a democracia. A capacidade de atrair outros atores para a questão sanitária possibilitou a formação de uma rede capaz de orientar recursos para o engendramento de ações que viabilizaram a introdução da questão sanitária na agenda da Assembleia Nacional Constituinte (ANC). A partir dos arcabouços teóricos da Análise Crítica do Discurso, do modelo de Múltiplos Fluxos de Kingdon e dos conceitos de Policy Network e Advocacy Coalition Framework, defendo as hipóteses de que o Movimento Sanitário conseguiu empreender ações para criar uma janela de oportunidade para o estabelecimento de uma agenda para a questão sanitária; aumentou a propensão de outros atores para a colaboração e desenvolvimento de ações coletivas em torno da questão sanitária, e de que as práticas discursivas desenvolvidas conseguiram enfeixar as demandas de outros atores em torno da necessidade de uma mobilização social para a viabilização de um sistema de saúde universal e igualitário.